Ar-condicionado do carro: 5 provas de que você está usando errado

    Ar-condicionado do carro: 5 provas de que você está usando errado

    Você coloca o difusor na sua direção? Isso mais atrapalha do que ajuda

    Em países quentes como o Brasil, ter um ar-condicionado no carro ajuda o motorista a ter um pouco de dignidade e não derreter no verão. Mas você sabe como usar o equipamento corretamente? A SEAT, fabricante espanhola que faz parte do Grupo Volkswagen, divulgou uma lista dos cinco erros mais comuns cometidos pelos motoristas ao usar o ar-condicionado.

    Segundo a SEAT, estes erros reduzem a efetividade do ar-condicionado, resultando em uma temperatura mais alta dentro do carro. E, pior, ainda pode te desidratar e piorar seu tempo de reação em uma emergência. A diferença de 10°C (35°C comparado com 25°C, por exemplo) na cabine reduz a sua reação em 20%, o equivalente a ter 0,05% de álcool no sangue.

    Carros parados no sol podem alcançar nada menos que 60°C de temperatura. Para ajudar a reduzir o calor do interior antes de sair, Ángel Suárez, engenheiro da SEAT, diz: “Abra as portas e baixe os vidros por um minuto antes de ligar o ar-condicionado, para reduzir a temperatura da cabine de modo natural”. Se os passageiros traseiros disserem que não conseguem sentir o ar frio, então as saídas de ar estão erradas. “Não é uma questão de temperatura, mas em que direção está o fluxo de ar dentro do carro,” explica Suárez. “As saídas devem ser direcionadas para cima, não para o rosto das pessoas. Assim, o ar irá fluir por todo o interior e chegar a todos os passageiros.

    Veja abaixo cinco erros mais comuns ao utilizar o ar-condicionado.

    Manter o botão de recirculação ativado

    Deixar a recirculação de ar ligada pode fazer com que os vidros fiquem embaçados e reduza a visibilidade. Muitos carros têm a opção automática, que se ajusta sozinho para impedir que os vidros embacem e a cabine continue a ser refrigerada.

     

     

    Apontar a saída de ar na sua direção

    É tentador, eu sei, ainda quando você sai do calor. Porém, segundo a SEAT, é contraprodutivo e impede que toda a cabine tenha uma distribuição igual do ar. O correto é apontar as saídas de ar para cima, deixando com que o ar se espalhe por todo o interior através do teto. Como o ar frio é mais denso do que o quente, ele irá descer naturalmente.

     

     

    Colocar o ar no máximo logo que ligar o carro

    Deixou o carro no calor por horas e não quer aguentar o forno? Ligar o ar-condicionado no máximo não irá ajudar, pois o sistema irá recircular o ar quente por muito tempo. Ao invés disso, abra as portas, desça os vidros e espere um ou dois minutos antes de entrar no veículo, fechar as portas e ativar o ar-condicionado. Isto reduz um pouco da temperatura de modo natural, economizando combustível e agilizando o processo. Além disso, ficar dentro de um carro muito dentro pode te desidratar.

     

     

    Não fazer manutenção

    Assim como o óleo, pneus e freios, o ar-condicionado precisa de manutenção. O filtro do ar deve ser trocado a cada 15 mil km. Este filtro começa a juntar sujeira ao ponto de entupir algumas das passagens, provocando perda de eficiência e até problemas de saúde por conta dos fungos, ácaros, vírus e bactérias.

     

     

    Não ligar o ar-condicionado de manhã

    Às vezes, a manhã está bem fresca e achamos que nem precisamos usar o ar. Ainda assim, a SEAT diz que o ideal é que ligar o ar-condicionado de manhã, já que os vidros podem ficar embaçados caso a temperatura externa suba rápido demais. Além disso, deixar o ar parado por muito tempo faz com que acumule sujeira.

     

     

     

    Fonte: PORSAM BURNETT,

    Link: https://motor1.uol.com.br/features/258328/ar-condicionado-carro-5-erros-uso/